Meu testemunho


Fé e Coragem

          Olá,queridos 
Estive ausente por alguns meses,pois passei por momentos não muito agradáveis.

Desde Junho de 2011, estava fazendo tratamento para combater um cisto pancreático de 10 cm, que se alojou na cauda do pâncreas,confesso que foram dias difíceis,de preocupações e sofrimentos;Mas não existe nada que impeça o Senhor de realizar seus bons propósitos para conosco. O que existe é nossa limitação naturalque nos impede de perceber os objetivos do Senhor, quando permite que soframos, em função de enfermidades.
No mês de Março de 2012 passei por uma "quase cirurgia"para colocação de 2 drenos que iria drenar o líquido do cisto,(digo dessa forma, pois tive que tomar anestesia geral, fui entubada,e quando começou esse procedimento era 10 da manhã e quando acordei já era quase 17:00 horas),foi muito dolorido apesar de ter sido feito esse procedimento por um exame chamado de drenagem endoscópica,sem cortes externos.Feita a colocação dos drenos, eu ficaria com eles por 2 meses;mais para minha surpresa e dos médicos após um mês fiz um exame de tomografia que constou que os drenos haviam entupido e que o cisto permanecia;então os médicos decidiram que o ideal seria fazer uma cirurgia para a retirada do cisto.Então,no dia 08 de Maio passei pela cirurgia, cirurgia esta,de grande porte e alto risco;pude sentir o cuidado de Deus mais uma vez sobre minha vida, foram feitos 4 procedimentos (pancreatectomia corpo-caudal + esplenectomia + colecistectomia + gastrectomia para retirar o dreno antes colocado.Entrei no centro cirúrgico as 8:00 da manhã e saí as 17:00 hs ).
O médicos falavam que eu necessitaria de transfusão de sangue,CTI, e que eu não teria previsão de receber alta, mas a ultima palavra quem dá é o Senhor ,dono da minha vida! 
Pra glória de Deus não precisei de transfusão de sangue,nem CTI, e depois de 10 dias internada, recebi alta do hospital.
Retornei ao Hospital após um mês e ao analisar o resultado da biópsia a palavra que escutei do meu médico foi que "eu havia ganhado na mega sena",pois o que tinha sido diágnosticado  como cisto era uma neoplasia cística cerosa de calda de pâncreas, e pra glória de Deus não seria necessário fazer quimioterapia,perguntei aos médicos se eu estava totalmente curada, eles me disseram que não poderia me dar certeza,pois eu ainda teria que fazer uma série de exames de sangue e tomografia. Saí do hospital meio angustiada e um pouco tensa, mais novamente o Senhor Jesus falou ao meu coração , tinha plena certeza que podia confiar o socorro do Senhor, e que Deus não faz nada pela metade.
No Mês de Dezembro de 2012, fiz todos os exames, e para Glória de Deus, os resultados foram ótimos!! não foi detectado nenhuma anormalidade, os médicos disseram que a cirurgia foi um sucesso.Graças dou ao Deus maravilhoso que tem sido meu socorro sempre presente .
Meditação: Aquele Que Cristo Ama Adoece? 
João 11:2 - E Maria era aquela que tinha ungido o Senhor com ungüento, e lhe tinha enxugado os pés com os seus cabelos, cujo irmão Lázaro estava enfermo. 
Duas coisas ficaram bem claras, na mensagem que Marta e Maria mandaram a Jesus: “Suas irmãs mandaram-lhe dizer – Senhor, está enfermo aquele que Tu amas” (João 11:2). Primeira: Lázaro estava doente. Segunda: Jesus amava Lázaro.
O raciocínio daqueles que só aceitam o Evangelho se ele for milagreiro é muito simples. E, talvez, simplório. Dizem: a Bíblia nos afirma que o Senhor é onipotente. E a Bíblia afirma, também, que o Senhor nos ama intensamente. Ora, se nós humanos, apesar de nossas limitações, fazemos o possível e o impossível para evitar o sofrimento daqueles que amamos, o que impede o Senhor de fazer o mesmo?
Não falta um grande contexto bíblico que afirme, e que reafirme, a divina estratégia que se especializa em planejar bênçãos significativas para nós os cristãos, através do instrumento chamado provação. Um dos instrumentos divinos de provação é, notadamente, a doença. Consequentemente, a Bíblia declara: Primeiro, que Cristo nos ama. Segundo, exatamente porque Ele nos ama e quer nos abençoar, Ele permite nossa doença. No caso de Lázaro, a bênção de Cristo não foi a cura da doença. Foi apenas, sua ressurreição.

Estar no leito de enfermidade pra mim,me fez relembrar de que sou pó, e totalmente dependente de Deus.
Estar no leito de enfermidade faz-nos abrir os olhos espirituais, e faz-nos percebermos a manifestação da obra de Deus em nós!